Crise e Caráter

Screen Shot 2020-03-16 at 18.43.50

Os eventos e as pessoas passam mas a história fica.  Crises se caracterizam por falta de controle e imprevisibilidade.  As coisas acontecem e as reações são espontâneas, sem planejamento, reativas e, muitas vezes, erradas.  O Brasil vem sempre marcado por crises e está sempre procurando a saída, em busca de uma estabilidade e previsibilidade.  Entretanto, prevalece a cultura de improviso e quando a criatividade do momento não funciona, busca-se um Salvador.

Jair Bolsonaro tem Messias no nome e, por isso e outros motivos, creio que ele pensa que atua como um instrumento de Deus.  Um Deus que o salvou de uma facada mortal, que pré-determinou sua eleição e que hoje fecha seu corpo contra os males.  O vírus lhe cerca e ele oferece para se isolar mas acaba saindo para manifestar junto com os que o apoiam.

Típico caso do “faça o que eu falo, não faça o que eu faço”.

Desde as eleições, o lema da campanha de Bolsonaro “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, transmite um ideal de amor a nação e uma submissão a figura divina.  Como o Presidente foi batizado no Rio Jordão, seu batismo significou que ele estaria disposto a levar uma vida nova em Jesus Cristo.  Então supostamente o Presidente aspiraria ter um caráter cristão.

De acordo com o Sermão da Montanha (Mateus 5) isto deve incluir humildade, penitência, misericórdia, pureza e pacificidade.  É claro as qualidades são gols inalcançáveis, as vezes ate sobre-humanos, só atingíveis por um milagre com a ajuda de Deus.   Entretanto, ate agora, Bolsonaro mais exibe o orgulho, a soberba, a vingança e gana pelo poder.

No meio de uma crise de peste e de depressão econômica, pode se discutir quais qualidades bíblicas são as mais apropriadas.  Mas a inteligência e bom senso indicam diante da COVID19 que a ciência e a verdade em torno do vírus e da doença precisa ser transmitida como ela é, clara e inequivocamente, sob todos os aspectos. Sem agendas escondidas e sem interesses politicos e economicos.

Portanto, a população já se preocupa com o comportamento inconsequente do Presidente.

Simplificando, vejamos porque:

  • O vírus é altamente contagioso
  • Pessoas em contato direto com o Presidente testaram positivo.
  • O próprio Presidente recebeu a recomendação de isolamento e de novo teste.
  • Entrar em contato físico com o publico como o Presidente fez no dia 15 foi perigoso para ele e para todas as pessoas presentes.

Em termos de crença Cristã, a ideia básica da ressurreição de Jesus Cristo baseia-se no amor a Deus e ao próximo.  Por em risco as pessoas e dar um exemplo que contradiz as recomendações do próprio Ministro de Saúde são atos de desamor, falta de fraternidade e de irresponsabilidade.  Pode ser que o Presidente pense que Deus está no controle de tudo e que ele é parte indispensável do plano Dele.  Por isso age inconsequentemente, com esta postura de orgulho e insegurança.

Mas há a questão que não cala: Será que o Presidente não está equivocado? Ou sera que sofre falta de carater?

Uma definição simples de caráter, é que a pessoa deve fazer a coisa correta mesmo quando não tem ninguém vigiando.  No país do jeitinho e da malandragem, isso pode ser um desafio e alguns vão até chamar de burrice, mas diante a pandemia, precisa-se de respeito a verdade da vida e morte e assim desenvolver o caráter diante de uma situação que não é nem fake e nem relativa.